"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#64 Revelação



Leitura: Mateus 16:13-20
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=IG6YAULb9W8
Áudio: http://www.stories.org.br/3minutos/64_Revelacao.mp3

O capítulo 16 do evangelho de Mateus é um divisor de águas no ministério de Jesus. Agora só falta o ato final para completar sua rejeição pelos judeus: o Messias ser condenado à morte por seu próprio povo. O capítulo 53 do livro do profeta Isaías estava para se cumprir e agora Jesus passa a preparar seus discípulos para a cena da cruz.

Ele pergunta a eles quem o povo acha que ele realmente é. João Batista, Elias, Jeremias ou algum outro profeta ressuscitado, respondem eles. Então ele quer saber a opinião dos próprios discípulos. É Simão quem responde:

"Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo". Simão não fala de si mesmo, mas recebe uma revelação do Pai. Jesus é o Messias e Deus Filho. Homem algum pode concluir ou compreender isso a não ser por revelação divina. Jesus dissera um tempo antes que "Ninguém conhece o Filho senão o Pai".

As revelações não param aí. Dirigindo-se a Simão, Jesus diz: "Eu lhe digo que você é Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não poderão vencê-la. Eu lhe darei as chaves do Reino dos céus; o que você ligar na terra terá sido ligado nos céus, e o que você desligar na terra terá sido desligado nos céus".

Existe muita confusão sobre esta passagem porque as traduções usam a mesma palavra para "pedra" e "rocha". Eu acredito que Jesus se referia à afirmação de Pedro e a si mesmo ao falar de "pedra". Mas o melhor mesmo é perguntarmos a Pedro quem é essa pedra.

"Ei, Pedro, quem você acha que é a pedra?"

Pedro responde no capítulo 4 de Atos: "Este Jesus é a pedra". Depois, em sua carta chamada de 1ª Pedro, no capítulo 2 ele chama Jesus de "pedra viva", "pedra rejeitada", "pedra escolhida", "pedra preciosa", "pedra angular", "pedra de tropeço" e "rocha de escândalo". Bem, você não vai querer discutir com Pedro, vai?

Outra revelação é que Jesus edificaria a sua igreja, a igreja dele próprio, o que nos leva a duas conclusões importantes. Primeiro, o verbo está no futuro, "edificarei", o que mostra que a igreja não existia antes e nem mesmo naquele momento. Era algo futuro, o que nos remete ao capítulo 2 de Atos, que você pode ler por conta própria.

Outra coisa: Jesus diz "minha igreja". É dele, de mais ninguém. Quando você escuta algum padre, pastor ou líder religioso usar a expressão "minha igreja" para falar da organização que fundou ou do lugar onde congrega, aquela é a igreja dessa pessoa, não a de Jesus. Se você quer saber qual é realmente a igreja de Jesus não perca os próximos 3 minutos.
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.