"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#83 A autoridade de Jesus



Leitura: Mateus 21:23-27
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=hjp4PFuJTl0

Jesus volta ao Templo no capítulo 21 do evangelho de Mateus, agora para ensinar. Os líderes religiosos logo vão tirar satisfação pelas coisas que ele há pouco tinha feito ali. Eles já tinham colocado em dúvida seus milagres e seus ensinos. Agora tentam questionar sua autoridade. Com ordem de quem ele tinha expulsado os mercadores do Templo?

Na sociedade existem autoridades e existe uma hierarquia. Quando você acha que um tribunal foi injusto ao julgar uma questão, você apela para um tribunal superior. Se chegar ao Supremo Tribunal e nem este lhe parece justo, não há mais o que fazer. Só lhe resta apelar para Deus, que está acima de todas as autoridades. Mas, e quando se trata de julgar a autoridade de Deus?

Bem, aí você vai precisar mostrar capacidade para fazer isso, o que é totalmente impossível. Aqueles líderes religiosos têm a petulância de questionar a autoridade do Criador, daquele que é maior até do que o próprio Templo do qual ele expulsou os mercadores. Aqui não se trata de uma questão de Jesus provar ou não sua autoridade, mas de provar se eles tinham ou não capacidade de julgar.

Por isso ele lhes pergunta se o batismo de João Batista era do céu ou dos homens. Os líderes religiosos discutem entre si. Se responderem que o batismo de João era do céu, Jesus perguntará por que não creram nele. Se responderem "dos homens", eles temem uma rebelião do povo, que considerava João um profeta. Por isso dizem simplesmente: "Não sabemos".

Eles demonstram assim sua incapacidade de julgar e, portanto, Jesus não lhes deve qualquer explicação. Pior do que os que ignoram as coisas de Deus são os que se consideram alguma coisa, que se acham mestres de ignorantes e guias de cegos, mas não passam de soberbos perdidos em suas jactâncias.

Outro dia vi numa livraria um livro que se propunha a apontar os erros da Bíblia. Na capa dizia: "Escrito pelo maior especialista do mundo em Bíblia". Pura bobagem. Se o autor fosse mesmo o maior especialista, ninguém poderia dizer isso dele, pois quem o fizesse já seria maior. A avaliação ou julgamento de uma autoridade termina quando se chega ao topo, àquele que já não pode ser avaliado, àquele que não pode ser julgado. A Deus.

Para julgar Jesus, é preciso ser superior a ele. Você é? Então o melhor á se sujeitar, crer e obedecer ao Salvador e Senhor de todas as coisas. Que tal parar de julgar Deus e descansar na certeza de que ele é justo e perfeito? São as nossas imperfeições que às vezes nos fazem pensar o contrário. Nos próximos 3 minutos Jesus vai mostrar a inutilidade da mera aparência religiosa.
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.