"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

#15 A oração



Leitura: Evangelho de Mateus 7:7-12

Peçam, e vocês receberão; busquem e encontrarão; batam, e a porta será aberta. Todo o que pede, recebe; o que busca, encontra; e para aquele que bate, a porta é aberta. Você crê nisso?

É claro que não, pelo menos com sua mente natural, lógica e racional, aquela que veio de fábrica. Não faz sentido porque sua mente foi feita para funcionar neste ambiente de três dimensões, nos limites de tempo e espaço daqui. Para essa mente as coisas que fazem sentido são as que cabem nessas condições.

Agora imagine se você tivesse a perspectiva de Deus, que pudesse enxergar e avaliar as coisas sem as limitações de tempo e espaço. Se pudesse avaliar as coisas com a perspectiva da eternidade. Tudo seria bem diferente.

Se algo acontecesse hoje ou daqui a mil anos, não faria diferença. E é aí que entra a oração. Orar é falar com Deus, é discutir, perguntar, questionar, pedir. Se você ler a Bíblia verá que tudo isso fazia parte das orações dos homens e mulheres de Deus ao longo dos séculos.

Portanto, orar é pedir e ter certeza da resposta, mas de uma resposta da perspectiva de Deus, não da nossa mente estreita. Dou um exemplo.

Moisés liderou os israelitas 40 anos pelo deserto rumo à terra prometida. Mas Deus não permitiu que Moisés entrasse na terra prometida. Só permitiu que a visse de longe antes de morrer, por razões que não vêm ao caso agora.

Aí você vem e diz: "Então que história é essa de pedir e receber, buscar e encontrar, bater e abrir? Moisés não queria entrar na terra prometida?" Sim, queria e Deus atendeu o seu desejo quase mil e quinhentos anos depois. Na passagem dos evangelhos conhecida como "Transfiguração" você vai encontrar Moisés, Elias e Jesus conversando no Monte das Oliveiras, próximo de Jerusalém.

Percebeu? Deus respondeu as orações de Moisés do jeito de Deus, no tempo de Deus, pela perspectiva de Deus. Um pai não dá uma pedra ao filho que pede um pão, mas pode dar mais tarde ou até dar algo melhor. Crianças pequenas pedem coisas absurdas aos pais, e nem sempre convém atendê-las. E de que tamanho você acha que nós somos diante de Deus?

Portanto, antes de orar, antes de pedir, é preciso ter a perspectiva de Deus, e isso você recebe graças a uma famosa oração não atendida: "Pai, afasta de mim este cálice". Se Deus tivesse atendido a oração de Jesus não haveria salvação para ninguém. Ele não teria morrido na cruz e não poderia perdoar e salvar você. Seu destino? A morte e juízo final.

Mas Jesus morreu e agora você pode ter a salvação crendo nele. E pode ter ainda sua mente renovada para enxergar as coisas do ponto de vista da eternidade. Por mais curioso que possa parecer, essa mente larga e ampla você só consegue passando pela porta estreita e andando no caminho apertado, que é o assunto dos próximos 3 minutos.



MP3 - O Evangelho em 3 Minutos Leve esta mensagem para ouvir em seu iPod ou MP3Player.
Clique o botão direito do mouse e escolha "salvar destino" ou "arquivo".

#14 Na trave



Leitura: Evangelho de Mateus 7:1-6

"Não julguem para vocês não serem julgados", disse Jesus. O que quer dizer? Que os juízes devem considerar inocente todo bandido ou que no próximo jogo não terá mais um homem de preto correndo no gramado? Não é bem assim.

Por outras passagens da Bíblia você descobre que Jesus condena julgarmos os motivos das pessoas, tirarmos conclusões por sua aparência, coisas assim.

Evidentemente há coisas que devemos sim julgar, como as coisas que as pessoas dizem ou fazem, especialmente quando o assunto é Deus. Para isso temos uma medida, a Bíblia, a Palavra de Deus.

Então o problema não está no julgamento, mas na trave que temos nos olhos, na incapacidade de enxergar o que é certo ou errado na hora de querer tirar o cisco do olho alheio.

Ninguém pode querer julgar qualquer coisa ou a si mesmo se não tiver ou padrão ou medida perfeita. Se você não apelar a Deus como o padrão e medida para seu discernimento das coisas e pessoas, acabará adotando o referencial mais conveniente: você mesmo.

E é aí que você começa a julgar os outros até como forma de terapia. Você sempre vai se sentir bem se encontrar alguém pior. Sabe como é, "eu bebo, mas não roubo", ou "eu roubo, mas não mato", e por aí vai.

Como o mundo é uma grande feira de vaidade e maldade, o que não falta é gente pior do que você para se comparar. Mas o que acontece se você se comparar com Deus? O que acontece se você se comparar a Jesus? Vai ser péssimo para o seu ego, pois estará diante da perfeição e do homem perfeito.

É por isso que Deus deixa muito claro na Bíblia que todas as pessoas são pecadoras, todas estão muito longe do padrão. Isso inclui eu e você. O que fazer? Melhorar? Bem, se você conseguir lavar carvão e enxugar gelo, pode ir tentando. Deus diz que não vai conseguir coisa alguma se não recomeçar a partir do zero, renascer, nascer de novo. Só que isso também não cabe a você.

Já viu algum recém-nascido se gabando do esforço que fez para nascer? Nem vai ver. Quem nasce não tem qualquer participação no trabalho de parto. O trabalho, a dor, o sangue, é tudo da mãe. Alguém sofreu e correu o risco de morrer para você nascer.

Para nascer de novo não é diferente. Jesus sofreu, morreu e derramou sangue para que você pudesse viver. Não uma mera vida natural, mas uma vida eterna.

Como receber isso? Oras, pedindo a Deus. Ele é bom, Ele quer perdoar, Ele quer salvar. Qual é o pai que se o seu filho pedir pão lhe dará uma pedra? Mas este é o assunto dos próximos 3 minutos, cujo tema é "A oração".




MP3 - O Evangelho em 3 Minutos Leve esta mensagem para ouvir em seu iPod ou MP3Player.
Clique o botão direito do mouse e escolha "salvar destino" ou "arquivo".

#13 Mais do que aves e lírios



Leitura: Evangelho de Mateus 6:25-34

"Olhem para as aves dos céus", disse Jesus. "Olhem para os lírios dos campos". Você já viu um passarinho preocupado com suas ações na bolsa de valores ou um lírio na dúvida de que roupa vai vestir? Deus cuida deles, apesar de não terem sido criados à imagem e semelhança de Deus, como eu e você.

Então quer dizer que a gente pode viver livre de compromissos como vivem os pássaros, e inconseqüentes como crescem os lírios? Não. As comparações param aí. Tanto os lírios como os pássaros vivem para comer, beber e se multiplicarem. E você, vive para quê?

Comer, beber e fazer sexo? Você vale mais do que aves e lírios, e eu realmente não creio que Jesus tenha vindo a este mundo morrer por pardais e bromélias, por mais que sejam criações de Deus. Jesus veio morrer por mim e por você.

É claro que eu e você precisamos trabalhar para ter o que comer, beber e vestir. Desde a queda de Adão toda a terra e a criação virou uma ruína de dar dó, e enquanto Deus não colocar ordem nisso vamos comer o pão com o suor do rosto.

Ah! Agora você vai dizer que eu cheguei ao "x" da questão, que é só graças ao seu trabalho que você pode ter o que tem, suprir as necessidades de sua família, enfim, comer, beber, dormir e pagar a conta do celular. Será?

Se Deus tivesse feito você nascer no deserto da Namíbia, você não seria hoje o que é, e nem teria o que tem. Portanto, é bom começar a reconhecer que, apesar de Deus não ser visto no palco de sua vida, Ele atua nos bastidores. Afinal, ele é o dono do teatro, o diretor do espetáculo e aquele que tem o poder de baixar a cortina quando bem entender.

Injusto! dirá você. "Eu quero dirigir minha vida, eu quero decidir quem sou e o que vou ser, e sou em quem deve dizer quando devo sair de cena". Eu sei você quer tudo isso, mas a vaga para Deus já foi preenchida. E tem mais: você não é uma ilha, e sua vida acaba influenciando a vida de muitos dos bilhões de habitantes do planeta.

Quer ver? Se aquele chinês que você nem conhece tiver feito alguma bobagem na hora de montar esse celular que você tem aí, ele pode falhar na hora que você mais precisar dele. Portanto, acostume-se com a idéia de que precisamos sim de um diretor geral, precisamos sim de Deus.

Mas a questão aqui é a preocupação, a inquietação com as necessidades básicas. Se ainda não creu em Jesus para ter sua salvação garantida, comece por esta preocupação. Porque não existe uma necessidade mais básica do que garantir o seu destino eterno, o seu futuro. E que futuro!

O que Jesus disse? Busque em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas lhe serão acrescentadas. Que lugar ocupa Jesus em sua lista de prioridades? Não é a primeira? Então, neste caso é melhor você se preocupar mesmo.




MP3 - O Evangelho em 3 Minutos Leve esta mensagem para ouvir em seu iPod ou MP3Player.
Clique o botão direito do mouse e escolha "salvar destino" ou "arquivo".

#12 Tesouros



Leitura: Evangelho de Mateus 6:19-24

"Ninguém pode servir a dois senhores", disse Jesus. Porque onde estiver o seu tesouro, aí estará também o seu coração. E eu pergunto: Onde está o seu tesouro?

Tesouro é qualquer coisa que a gente deseja mais do que tudo, é a prioridade e razão de viver. Toda pessoa tem ou está em busca de algum tesouro. Pode ser dinheiro, família, relacionamento. Como saber se é um tesouro? Se você achar que não pode viver sem, ou que só vai ser realmente feliz se conseguir aquilo, então é seu tesouro.

Pode ser algo tão banal quanto emagrecer e melhorar de aparência. Já ouviu falar de pessoas que morreram tentando? As pessoas são capazes de qualquer coisa por um tesouro estético. Já ouviu falar de alguém que matou ou morreu pela pessoa amada? Aquele relacionamento era o tesouro, o senhor da vida daquela pessoa.

Avalie os seus tesouros no longo prazo e você vai entender o que Jesus quis dizer. Em cem anos todas as pessoas que você conhece hoje estarão mortas. Na melhor das hipóteses, se você tiver sido alguém de destaque, colocarão um busto seu em alguma praça para sua cabeça virar latrina de pombo.

Quando Jesus usou a expressão "servir a dois senhores" estava falando da relação escravo-senhor, e eu nem preciso lhe dizer como é fácil nos tornarmos escravos do dinheiro, da carreira e do sucesso. Todas essas coisas podem ser boas e lícitas, mas Deus não quer que sejam o centro e a razão de nosso viver. Deus reivindica esse lugar.

A diferença é que, quando é ele quem ocupa esse lugar, já não somos escravos, mas filhos. Todas as outras coisas são conseguidas com esforço. Deus você consegue quando descansa, quando entrega os pontos, quando coloca em sua vida uma daquelas faixas: "Sob nova direção".

Só em Deus você encontra descanso, porque ele fez todo o trabalho. Só em Deus você encontra plenitude, porque... oras, porque ele é Deus! Mas de que Deus estou falando? Do único, do seu criador, daquele que não espera que você faça algo para se salvar, mas que providenciou tudo para você poder chamá-lo de Pai. O Deus que enviou o seu Filho ao mundo para morrer para sua salvação e ressuscitar para sua justificação.

Eu não disse que alguém é capaz até de morrer por um tesouro? Por qual tesouro você acha que Jesus deixou o céu para vir a este mundo morrer? Você. E você, qual é o seu tesouro?

#11 Pai Nosso



Leitura: Evangelho de Mateus 6:9-15

Orar é se reconhecer fraco, incapaz e dependente de Deus. Nada disso agrada o ser humano que desde criança é ensinado a ser independente e, quando cresce, consome livros de auto-ajuda. Portanto, a oração é a negação da auto-suficiência.

Jesus ensina que orar não é ficar repetindo palavras como fazem os pagãos. Não é entoar sons hipnóticos como os mantras tibetanos ou usar de palavras mágicas ou fórmulas secretas para liberar algum tipo de energia cósmica. A oração não é Shazam ou o Abracadabra do cristão. Orar é comungar com Deus nossas necessidades, sentar-se ao lado dele e conversar sobre elas.

Mas por que orar se Deus sabe de antemão o que precisamos ou vamos pedir? Porque Ele quer enxergar dependência em nós e porque gosta quando conversamos com Ele. Orar é fazer o caminho inverso do homem no Éden, que quis ser independente de Deus, auto-suficiente e dono de seu próprio nariz. A oração nos põe de volta em nosso devido lugar.

Antes de ensinar a oração conhecida como "Pai Nosso" Jesus condenou a mera repetição de palavras, portanto o "Pai Nosso" não é uma oração para ser repetida. Trata-se de um modelo de como devemos orar. Não é "o que", mas "o como".

Primeiro vem o reconhecimento da posição que Deus ocupa, no céu, acima de nós, e de sua santidade, que significa separação do mal. Equivale reconhecer que os nossos interesses particulares podem não ser os interesses de Deus, que vê o cenário todo de cima e sabe o que é melhor para nós.

Daí o "venha a nós o teu reino" e não o contrário. Os interesses do céu devem prevalecer sobre os da terra. É só após reconhecermos o que Deus é, e que ele tem a primazia, que vêm os pedidos, que são basicamente para o suprimento das necessidades físicas e de proteção, intercalados com um pedido de perdão.

Esse perdão não é o perdão judicial de nossos pecados, que recebemos por graça e pela fé em Jesus. Aqui é um perdão parental, relativo. É a condição momentânea para recebermos o que pedimos. É como se meu pai dissesse: "Marinho, você não vai ganhar a bicicleta enquanto não fizer as pazes com sua irmãzinha".

Mas como perdoar? Com o perdão de quem já foi perdoado. Aí sim, o perdão judicial, absoluto. Para entender melhor isso, veja como o apóstolo Paulo coloca o perdão em sua carta aos colossenses: "Assim como Cristo perdoou vocês, perdoem também os outros". Do ponto de vista judicial, só consigo perdoar porque fui perdoado.

Você já foi perdoado de todos os seus pecados? Esse perdão pleno e absoluto você só obtém porque Jesus pagou o preço em seu lugar morrendo na cruz e ressuscitando. Deus quer perdoar. Esta é a primeira oração que você deve fazer.

#10 Filho ou hipócrita?



Leitura: Evangelho de Mateus 6:1-8; Lucas 11:1-4
Video: http://www.youtube.com/watch?v=rj3sCuc3R2M

O capítulo 6 de Mateus começa falando de duas coisas: da sublime relação que Deus deseja ter com suas criaturas e da vergonhosa hipocrisia religiosa.

A primeira coisa que chama a atenção é a palavra "Pai". Ela aparece 10 vezes nos 18 primeiros versículos do capítulo. Nunca antes um judeu tinha chamado a Deus de Pai. Pode conferir, em todo o Antigo Testamento ninguém ousaria ter tamanha intimidade e familiaridade com Deus.

Essa relação de intimidade foi inaugurada por Jesus, que em sua condição humana era o unigênito, ou o único filho gerado por Deus. Ele foi gerado pelo Espírito Santo, nasceu de uma virgem, e teve em José apenas seu pai legal, não biológico.

E tem mais: no Novo Testamento Deus não é chamado apenas de Pai. Pouco antes de morrer, quando Jesus orava em agonia, o evangelho de Marcos diz que ele se dirigiu a Deus com a palavra "Aba" que, em aramaico, quer dizer "Papai". E nas cartas dos apóstolos você aprende que todo aquele que crê em Jesus pode agora chamar a Deus de "Papai".

Deus estende essa relação de intimidade e parentesco a todo aquele que recebe a Jesus, e apenas a esses. Ouça com atenção o que diz o primeiro capítulo do evangelho de João:

Jesus "veio para o seu próprio povo, e não o receberam. Mas, aos que o receberam, aos que creram em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus".

Você é filho de Deus? Já nasceu de novo? Já creu em Jesus?

Agora vem o contraste: Jesus expõe a hipocrisia do homem religioso, que dá esmolas e faz orações para ser visto e elogiado pelos homens. Segundo Jesus, esse já recebeu sua recompensa. Qual? Oras, ser visto e louvado pelos homens. O que ele está dizendo é que um cara assim deve se dar por satisfeito por receber o que procurava. Nada mais.

Esmolas e orações são coisas tão boas quanto as muitas árvores frutíferas que Deus plantou no Jardim do Éden para Adão e Eva se alimentarem. O que aconteceu? Eles comeram da única árvore que Deus ordenou que não comessem. Foi a origem do pecado, da rebelião do ser humano contra o Criador.

Quando Adão e Eva viram a besteira que tinham feito, tentaram se esconder de Deus entre as árvores do pomar. O homem religioso é assim: tenta se esconder de Deus entre as próprias coisas que Deus aprova, como esmolas e orações. Tenta disfarçar, fingir, encobrir seu pecado. O nome disso? Hipocrisia.

Cristo Jesus veio ao mundo salvar pecadores, e são estes que Deus procura. Se você continuar se escondendo atrás de sua religião, de suas boas obras e orações para parecer que não é um pecador, como espera ser encontrado e salvo?

Vamos lá, se exponha, se abra, se escancare para Deus, confesse a Ele quem você realmente é e creia em Jesus como seu Senhor e Salvador. Só falta isso para você ser chamado de filho de Deus e poder olhar para Deus e dizer: Papai.

#9 Você não conhece nem metade



Leitura: Evangelho de Mateus 5:17-26
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=4M8Nh2qSsB0

Jesus não veio abolir a lei, veio cumpri-la. Mas de que lei ele está falando? Deus deu a Moisés os dez mandamentos e mais uma centena de preceitos que compõem a lei de Deus. Você os encontra principalmente nos cinco primeiros livros da Bíblia.

As pessoas deviam cumprir todos os mandamentos, mas alguns logo perceberam que não seria possível. Ainda que você não mate, não roube ou não cometa adultério, há um mandamento que diz: "Não cobiçarás".

Oras, a cobiça acontece na mente, no coração, antes mesmo de você partir para a ação. E é disso que Jesus está falando aqui. A lei dizia "Não matarás", mas Jesus diz que basta sentir raiva de alguém pra isso valer como homicídio. A lei dizia "Não adulterarás", mas Jesus diz que basta cobiçar uma mulher para você ser culpado de adultério.

Bem, se você é daqueles que lêem o sermão da montanha e acham tudo lindo, provavelmente não entendeu o que diz ali. Você está lendo sua sentença de morte. Ou vai querer dizer que nunca sentiu raiva de alguém, nunca adulterou em pensamento ou mentiu, tentando parecer o que não é...

Então tá todo mundo perdido? Exatamente, e é isso que o apóstolo Paulo explica em sua carta aos romanos. Deus deu a lei como um cala-boca, uma forma de mostrar que todos são pecadores, todos são transgressores, todos réus culpados aguardando a aplicação da pena.

Mas tem um problema aí. A pena para o pecado é a morte. Advogado nenhum pode livrar você dessa, mas Jesus pode. Acompanhe meu raciocínio.

No Antigo Testamento, quando um israelita transgredia a lei, quando pecava, era preciso sacrificar um animal inocente, um cordeiro por exemplo, em seu lugar. Detalhe: o cordeiro precisava ser sem defeito.

Jesus, por ser sem pecado, foi o único capaz de obedecer a lei, o único que não tinha pensamentos impuros como nós temos. Apesar de humano, ele não herdou a natureza pecaminosa que nós herdamos de Adão.

Por que você acha que Jesus foi chamado de "Cordeiro de Deus" por João Batista? Exatamente. Porque ele veio para ser sacrificado no lugar do pecador, para cumprir a lei. Quando você vê um ladrão sendo julgado e condenado, você diz que cumpriu-se a lei. O raciocínio é o mesmo.

Lembra de Adão? Pois é, pela desobediência de um só, muitos se tornaram pecadores. Deus quis fazer o caminho inverso. Pela obediência de um só, Jesus, e pela sua morte, muitos podem ser salvos.

Crer em Jesus como seu substituto é a única condição para você ser salvo. Ou acha que vai chegar lá cumprindo a lei? Impossível. Aos olhos de Deus você é um adúltero, ladrão e mentiroso. E como deve estar me odiando por eu dizer isso, acrescente homicida à lista.

Mas, se você realmente se reconhecer um pecador que depende da graça de Deus para ser salvo, depois de me escutar esculhambando com você, provavelmente irá dizer:

"Mario, você não conhece nem a metade do que realmente sou".

#8 Os perdedores



Leitura: Evangelho de Mateus 5:1-16; Lucas 6:20-23
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=5iRoWDxOwhM

O sermão da montanha é uma das passagens mais conhecidas do evangelho, mas nem sempre é corretamente interpretado. Primeiro, ele é dirigido aos discípulos que se aproximaram de Jesus, não à multidão.

Em segundo lugar, não se trata de uma lista de coisas para você fazer para ser salvo ou se tornar discípulo de Jesus. Ele está falando das características daqueles que, em todas as épocas, se submetem a Jesus.

"Reino dos céus" significa um reino que não é da terra, é dos céus, cujo rei esteve aqui, foi rejeitado e agora está nos céus. Quando Jesus diz "bem-aventurados estes ou aqueles", é como se dissesse "felizes estes ou aqueles" que são assim. Como assim? Assim como? Perdedores assim.

Sim, porque se o próprio rei do reino dos céus, Jesus, foi um perdedor neste mundo, como você espera que sejam os seus seguidores? Aí vem alguém e diz:

"Ué, mas eu pensei que fosse justamente o contrário, porque vi na TV alguém dizer que se você vai a Jesus seus problemas desaparecem, seus negócios melhoram, você paga suas dívidas, resolve problemas conjugais, é curado de todas as doenças e até compra carro importado".

Bem, quem vai a Jesus pensando nisso é igual a quem se casa por interesse, sabe como é, dá o golpe do baú. Se você está atrás de Jesus para receber alguma outra coisa que não seja o perdão de seus pecados e a salvação, é bom pensar melhor. Ou você acha que Deus é bobo, que não enxerga suas intenções?

Veja quem são os bem-aventurados aqui: os pobres de espírito, os que choram, os mansos, os injustiçados ou cansados das injustiças, os de coração mole que sentem pena dos outros, os que promovem a paz, os perseguidos por agir corretamente ou por sua fé em Jesus...

Percebeu? Tudo oposto às bem-aventuranças deste mundo, onde são bem-aventurados os auto-suficientes, os que riem, os poderosos, os que se dão bem com as injustiças, os que pisam nos outros, que promovem a guerra, perseguem e que, obviamente, querem passar bem longe daquele que neste mundo foi o maior dos perdedores: Jesus.

Só que Deus está chamando os perdedores para o seu reino, não os campeões. Prostitutas, ladrões, cegos, aleijados - que tipo de pessoa você acha que Jesus veio chamar? E depois de salvos de seus pecados pelo que Jesus fez na cruz, e não por suas próprias obras, em que você acha que se transformaram? Nesses bem-aventurados segundo o conceito de Deus, não dos homens.

Quer estar entre eles? Quer ser bem-aventurado eternamente? Então creia em Jesus, não em um Jesus bem sucedido e capa de revista, mas no Jesus crucificado.
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.