"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#143 A serpente de bronze



Leitura: João 3:14-15
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=k52qfB4rOlU

Nicodemos irá agora receber a chave que abre o entendimento das Escrituras. Sem o Espírito Santo e essa chave é impossível compreender a Bíblia, a Palavra de Deus. Essa chave está no versículo 14 do terceiro capítulo do evangelho de João: "Como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna".

Jesus vai ao Antigo Testamento buscar um episódio ocorrido com os israelitas e o conecta a si mesmo e à sua morte na cruz. Esta é a chave: sem o Novo Testamento e a obra consumada de Cristo é impossível entendermos o Velho Testamento, pois o que aconteceu no passado são símbolos e figuras de Cristo. Ao ler uma passagem do Antigo Testamento você deve sempre perguntar: onde está Cristo aqui?

Nicodemos conhece bem o episódio narrado no livro de Números. Em sua peregrinação pelo deserto rumo à Terra Prometida os israelitas foram atacados por serpentes venenosas. Muitos morreram e o povo clamou por salvação. Deus ordenou a Moisés que fundisse uma serpente de bronze e a colocasse na ponta de uma haste, para que fosse levantada. Todos os que olhassem para ela eram imediatamente curados.

A figura da serpente nos remete ao jardim do Éden, ao pecado original. A serpente de bronze, traduzida às vezes como "serpente ardente", precisou passar pelo fogo para ser moldada, e há também a haste na qual a serpente é levantada. Tudo isso aponta para Jesus na cruz. Apesar de ser sem pecado, ele foi feito pecado por nós, suportou o fogo do juízo de Deus e foi levantado numa cruz. Os israelitas olhavam para a serpente de bronze levantada na haste e eram curados. Jesus crucificado é a cura para o pecado do homem.

Você só encontrará perdão e paz olhando para o crucificado, crendo que ele tomou o seu lugar, recebeu sobre o seu corpo os seus pecados e suportou todo o castigo de Deus que era devido ao pecador. O bendito resultado daquela obra consumada na cruz é que você agora pode ser salvo; pode receber de graça uma vida inteiramente nova vinda de Deus, e ser feito apto por Ele para viver eternamente no céu.

A partir daí você passa a ter duas naturezas: a velha, que herdou de Adão e foi condenada na cruz, também chamada de carne, e a nova natureza, vinda de Deus. Nenhuma dessas duas naturezas é capaz de melhorar: a velha, por estar totalmente arruinada, e a nova, por já ser perfeita. Elas são antagônicas. A primeira porque sua condição normal é pecar e ser totalmente avessa a Deus e a tudo o que vem dele. A segunda por vir de Deus e ter aversão ao pecado. A carta de Paulo aos Romanos explica melhor isso. Por enquanto, vamos voltar a Nicodemos e ao versículo que resume tudo. Nos próximos 3 minutos.
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.

Mais vistos...