"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

#248 A garantia da salvacao



Leitura: João 14:15-17
Vídeo: http://youtu.be/2wRSWKnfvQQ

Você deve estar lembrado de que, neste capítulo, Jesus ficou apenas com seus discípulos após a saída de Judas. Portanto, as coisas que ele diz aqui são reservadas àqueles que verdadeiramente creem nele. Elas não farão sentido para você, se ainda não se converteu a Cristo.

Jesus diz: "Se me amais, guardai os meus mandamentos. E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós".

Aqui não falta muito para Jesus ser traído, preso e entregue à morte. Os discípulos ficarão muito tristes, mas o que Jesus pede não é choro e nem vela. Ele pede obediência aos seus mandamentos, os quais estão nos evangelhos e também nas epístolas que o Espírito Santo inspirou seus apóstolos a escreverem. Estas são suas instruções antes da partida.

Ao sair deste mundo, Jesus rogará ao Pai que envie o Espírito Santo para consolar os que creram nele. Repare nestas palavras: "para que fique convosco para sempre". Não há qualquer possibilidade de você receber o Espírito Santo de Deus e depois perdê-lo. É para sempre.

Esse Espírito é também o Espírito de verdade, ou seja, ele jamais poderá estar associado ao erro. Se você aprender coisas que não pode encontrar na Palavra de Deus, saiba que elas não vêm do Espírito Santo de Deus. O mundo não pode receber esse Espírito, porque é um privilégio apenas dos verdadeiros crentes em Jesus.

Assim como acontecia com os discípulos no momento em que Jesus falava, e também com os crentes que viveram no período anterior à Igreja, o Espírito habitava com eles, mas ainda não estava neles. A vinda do Espírito Santo para habitar nos crentes individualmente, e na Igreja coletivamente, é vista no capítulo 2 do livro de Atos, quando foi formada a Igreja, que é o corpo de Cristo.

Mas o que é preciso para o Espírito Santo habitar em você, e quando isso acontece? O apóstolo Paulo responde em Efésios 1:13: "Depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa". A ordem é esta: você ouve o evangelho, crê nele e recebe o Espírito Santo. Não é uma questão de sentir, mas de crer.

A passagem continua dizendo que o Espírito Santo "é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória". Penhor é o mesmo que comprovante ou garantia, e sem esse comprovante você não está salvo. Sem o Espírito Santo você nem mesmo pode afirmar que é de Jesus, pois em Romanos 8 diz que "se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele".

Nos próximos 3 minutos Jesus mostra o que o cristão deve esperar.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#247 Tudo o que pedirmos



Leitura: João 14:13, 14
Vídeo: http://youtu.be/q4Ug0YxVo5Y

Neste capítulo 14 do evangelho de João, Jesus promete: "E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. Se pedirdes alguma coisa em meu nome, eu o farei". Depois de ler esta passagem você irá pensar que o cristão pode até pedir o carro do ano, e Deus lhe dará. Não é bem assim.

Deus responde a todas as orações feitas em nome de Jesus, mas para muitas delas a resposta de Deus é "não". Orar em nome de Jesus não é usar seu nome como se fosse uma palavra mágica que abre portas, como o "Abra-cadabra!", de Aladim, o "Shazam!", do Capitão Marvel, ou "Eu tenho a força!", do He-Man. Pedir algo em nome de Jesus é pedir com a autoridade que ele concedeu aos que creem nele.

Quando você dá uma procuração a alguém, está capacitando essa pessoa a fazer determinadas coisas em seu nome. Mas uma procuração estabelece limites, e os limites são sempre aqueles determinados pela vontade de quem deu a procuração. A pessoa que tem a procuração não pode simplesmente sair por aí fazendo o que bem entender em seu nome. Do mesmo modo, o crente em Jesus não deve usar o nome dele, a menos que tenha certeza de estar fazendo aquilo que é da vontade do Senhor.

João 15:7 explica que a oração eficaz vai sempre depender de uma comunhão eficaz. Ali Jesus diz: "Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito". A chave para esse "tudo" está em 1 João 5:14: "E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve". Percebeu a ordem das coisas? Primeiro, devemos estar em Cristo e a sua Palavra estar em nós. Segundo, precisamos pedir de acordo com a sua vontade.

Você pode amar muito seu filho, mas não dará a ele tudo o que ele pedir, pois a criança nem sempre sabe o que quer. Porém um filho que tem uma comunhão íntima com seu pai -- que conhece seus pensamentos, que observa seu modo de agir e as coisas que seu pai gosta ou não -- saberá pedir aquilo que é segundo a vontade de seu pai.

Mas como podemos conhecer a vontade de Deus? Vivendo tão próximo dele que Deus terá prazer em mostrá-la para nós. Além disso, andando na proximidade de Deus, não perderemos uma palavra sequer das coisas que ele quiser nos falar. Se estivermos no Senhor -- e isto significa comunhão -- e a Sua Palavra estiver em nós -- e isto é familiaridade com sua Palavra ao ponto de ela impregnar nossos pensamentos -- então saberemos pedir aquilo que ele também deseja nos dar. Então literalmente TUDO o que pedirmos nos será feito.

Nos próximos 3 minutos, saiba se você tem o comprovante da sua salvação eterna.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#246 Obras maiores



Leitura: João 14:12
Vídeo: http://youtu.be/pabpfbVHAT0

Jesus diz aos discípulos: "Na verdade, na verdade vos digo que aquele que crê em mim também fará as obras que eu faço, e as fará maiores do que estas, porque eu vou para meu Pai". Enquanto estava aqui, Jesus curou pessoas que depois adoeceram, multiplicou pães para pessoas que voltaram a ter fome, e ressuscitou mortos que mais tarde morreram. No livro de Atos vemos os discípulos fazendo as obras semelhantes, conforme Jesus prometera. Mas e as obras maiores?

Sem diminuir a importância dos milagres de Jesus e dos discípulos, que tinham o objetivo de demonstrar o poder de Deus sobre o mundo material, dá para perceber que seus benefícios eram temporários? Saúde, alimento e ressurreição que só duravam uma vida. Lázaro morreu depois. No entanto, a obra iniciada pelo Espírito Santo através dos apóstolos, e continuada pelos cristãos que até hoje levam o evangelho, tem curado a alma, alimentado o espírito e destinado milhões de pessoas à ressurreição eterna.

Nem a transformação de água em vinho, a multiplicação dos pães ou a caminhada de Jesus sobre as águas, têm tamanha magnitude. Principalmente quando entendemos que a salvação de uma alma é consequência direta da maior obra de todos os tempos, a morte de Cristo na cruz e sua ressurreição, algo que ainda não tinha ocorrido quando ele disse estas palavras aos discípulos.

As maiores obras são as obras que duram eternamente. Costumamos valorizar as obras materiais e temporais, porque vivemos limitados no espaço e tempo, e nunca vimos o mundo espiritual. Para entender o que Jesus disse, é preciso ter uma "régua" eterna; medir as coisas que não terão fim. O que é mais importante, uma pessoa curada de câncer ou salva eternamente? Um aleijado que passa a andar ou um ressuscitado capaz de voar? Um cego que consegue ver TV um ou pecador salvo, capaz de ver a face de Cristo?

Em 2 Coríntios Paulo escreve: "Não atentando nós nas coisas que se veem, mas nas que se não veem; porque as que se veem são temporais, e as que se não veem são eternas". É ótimo que você ore pela cura, manutenção e bem estar de alguém, mas nada disso fará sentido se essa pessoa se perder eternamente.

No dia de Pentecostes o Espírito Santo desceu ao mundo para habitar na igreja e em cada cristão individualmente. É por intermédio dele que o cristão conduz um pecador à salvação eterna -- uma obra infinitamente maior do que qualquer milagre físico e transitório.

Nos próximos três minutos você aprenderá como receber tudo o que pedir em oração.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#245 Crer ou ver?



Leitura: João 14:10-11
Vídeo: http://youtu.be/6LkxKDJtUIA

Há duas maneiras de você crer no que alguém diz: acreditando na pessoa ou esperando que ela prove que diz a verdade. Se alguém diz que ama você, como você reage? Aceita a sua palavra, ou responde: "Ok, então prove!". Jesus diz a Filipe: "Crede-me que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim". Pelo jeito Filipe era do tipo desconfiado, pois Jesus acrescenta: "Crede ao menos por causa das mesmas obras".

Há quem só acredite na Palavra de Jesus se enxergar ou sentir algo. A Bíblia descreve muitos milagres feitos por Jesus, mas será que eles já não são suficientes para você? Os milagres que Jesus fazia tinham um objetivo muito claro: mostrar que ele estava no Pai e era Deus agindo ali. Aos cristãos de Corinto Paulo diz: "Enquanto os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria, nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos".

Os judeus queriam ver; os gentios, entender. Em Cristo crucificado encontramos as duas coisas -- o poder de Deus e a sabedoria de Deus -- mas de um modo que é loucura para a mente carnal. O evangelho -- a boa notícia de Jesus morto por nossos pecados e ressuscitado para nossa justificação -- é o "poder de Deus para salvação de todo aquele que crê; primeiro do judeu, e também do grego".

Na mesma carta Paulo fala que "a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Cristo". Então por que você ainda espera ver algo? Esperar por algum milagre é o mesmo que você dizer a Jesus: "Você me ama? Ok, então prove!". Mas que prova de amor você está esperando? Que ele morra outra vez por você? Que suba vivo ao céu diante de seus olhos?

Hoje muitos correm atrás de visões, sinais e milagres, como se fossem esteróides da fé, sem os quais se sentem fracos. Ao colocar seu foco nos milagres de Deus, ao invés de colocá-lo no Deus dos milagres, você fica vulnerável ao engano. Satanás é capaz de imitar muitos dos sinais e milagres que você encontra na Bíblia.

O problema é que, quando a mente carnal vê um milagre, mesmo que autêntico, ela tira conclusões também carnais. No livro de Atos, quando Paulo foi curado milagrosamente da picada de uma víbora, as pessoas do lugar o consideraram um deus. Quando ele curou um homem, foi chamado de Mercúrio, e seu companheiro Barnabé de Júpiter. O sacerdote local trouxe touros para sacrificar em homenagem a eles.

Quantas pessoas você conhece que mergulham no erro quando veem algum milagre? Pessoas que passam a seguir cegamente um líder religioso, fazem orações a alguma imagem, penduram objetos no pescoço, acreditando existir neles poder para protegê-las... Se você ficar correndo atrás de sinais e milagres, acabará deixando de se ocupar com aquele que deveria ser o foco da sua atenção: Jesus.

Nos próximos 3 minutos você poderá fazer obras maiores do que as que Jesus fez.

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#244 O Pai



Leitura: João 14:7-9
Vídeo: http://youtu.be/nICMmMMB8zw

Se você usa óculos, já deve ter procurado por eles sem perceber que estavam bem no seu nariz. É o caso aqui, quando Filipe pede a Jesus: "Senhor, mostra-nos o Pai". Ele certamente se esqueceu do que Jesus dissera algum tempo antes: "Eu e o Pai somos um". Hoje todo cristão genuíno sabe que existe um só Deus em três Pessoas distintas -- Pai, Filho e Espírito Santo -- e que Jesus "é a imagem de Deus".

Você certamente conhece frases do tipo "é a cara do pai" ou "tal pai, tal filho". Também já deve ter identificado o filho de um amigo apenas pelo seu modo de ser. Mesmo que não fossem fisicamente idênticos, o modo de falar, olhar, andar e agir revela o parentesco. As palavras de Jesus a Filipe têm um tom de repreensão: "Há tanto tempo que estou convosco, e ainda não me conheces, Filipe? Quem me viu a mim, viu o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai?".

Para nós hoje, falar de Deus como Pai pode parecer banal, mas naquela época jamais passaria pela cabeça de um judeu tratar o Criador com tamanha intimidade. Hoje costumamos dizer frases do tipo "eu também sou filho de Deus", embora isto só seja biblicamente verdadeiro para aqueles que nasceram de novo pela fé em Jesus. Para os demais, Deus continua sendo só o seu Criador.

No Antigo Testamento você encontra oito vezes Deus sendo chamado de "Pai", e mesmo assim apenas no sentido de Criador ou chefe do povo de Israel. No Novo Testamento o termo aparece 272 vezes com um sentido de intimidade que os judeus consideravam desrespeitosa e até blasfema. Às vezes Jesus utiliza a palavra "Aba", a mesma forma que era utilizada pelas crianças, algo como "Papai" hoje.

Filipe quer ver o Pai, ter um relacionamento íntimo com Deus, sem perceber que o Homem de carne e ossos que está bem em sua frente é um com o Pai. Na carta aos Hebreus, Jesus é descrito como "a expressa imagem" de Deus! Conhecer a Jesus é conhecer o Pai. Filipe tinha passado 3 anos com Jesus sem perceber que Jesus e o Pai são um único e mesmo Deus. E você, o quanto você conhece de Jesus?

Mas veja que interessante a segunda parte da pergunta de Filipe: "Senhor, mostra-nos o Pai, e isso nos basta". Eu e você já fizemos algum pedido do tipo "Senhor, faça tal coisa, porque isso é tudo o que eu quero". Ali está um homem que tem a companhia de Jesus o tempo todo e ainda acha que só será feliz se tiver algo mais. Não são poucas as vezes em que eu me encontro insatisfeito por achar que existe algo mais que Jesus possa me dar ou revelar.

Mas que insatisfação boba é essa! Se você já viu a Jesus com os olhos da fé, você viu o Pai. Se você tem o Filho de Deus, você tem o Pai! A questão é saber se você já nasceu de novo para poder chamar a Deus de "Pai" e viver satisfeito, como o salmista que diz: "A quem tenho eu no céu senão a ti? E na terra não há quem eu deseje além de ti".

Nos próximos 3 minutos, será que você acredita em Jesus?

(Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.