"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#670 Demonios


Leitura: Marcos1:23-24

O homem na sinagoga está possuído por um grupo de espíritos imundos que se identificam, ora no plural, ora no singular. “O que queres conosco... Vieste para nos destruir... [Eu] sei quem tu és: o Santo de Deus” (Mc 1:23-24). Em outro episódio de possessão demoníaca eles dizem a Jesus: “Vieste aqui para nos atormentar antes do devido tempo?” (Mt 8:29). Os demônios sabem que seu destino está traçado e que lhes resta pouco tempo para enganar, manipular e desviar as pessoas.

Não vemos manifestações demoníacas com tanta frequência no Antigo Testamento, mas elas estão lá por trás dos ídolos pagãos. “O que os pagãos sacrificam é oferecido aos demônios e não a Deus” (1 Co 10:20). Mesmo nas religiões pagãs é possível encontrar curas, milagres e manifestações de poder, e por esta razão o demonismo sempre foi popular em todas as épocas. Os magos de Faraó usaram de poder satânico para imitar os sinais que Deus realizava por Moisés, e eram também demônios que os adivinhos e feiticeiras consultavam pensando consultar os mortos.

O ser humano não mudou desde então. Muitos hoje praticam versões modernas de demonismo, mesmo que não usem um nome tão repulsivo. Quando Allan Kardec adaptou as antigas crenças reencarnacionistas pagãs para a cultura ocidental, tomou o cuidado de associá-las ao cristianismo para que fossem aceitas sem contestação por pessoas criadas numa cultura cristã. Em um artigo de 1866 numa revista espírita ele explicou o porquê de utilizar o evangelho como pano de fundo de suas doutrinas:

“Começamos por aí a fim de sermos aceitos sem contestação, aguardando de resto que a opinião pública fique mais familiarizada com a ideia espírita”. Essa técnica de sincretismo religioso é explicada assim no “Livro dos Médiuns”: “Se alguém tem uma convicção bem firmada sobre uma doutrina, ainda que falsa, é necessário que lhe tiremos essa convicção, mas pouco a pouco. Por isso é que muitas vezes nos servimos de seus termos e aparentamos abundar nas suas ideias: é para que não fiquem de súbito ofuscados e não deixem de se instruir conosco. Aliás, não é prudente atacar bruscamente os preconceitos.”.

Mas por que as manifestações demoníacas no tempo em que Jesus andou aqui eram tão abundantes? Porque os demônios sabiam quem era aquele que havia chegado, e da boca do homem possesso na sinagoga vinha essa confirmação: “Sei quem tu és: o Santo de Deus” (Mc 1:24).

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.