"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#687 Remendo


Leitura: Marcos 2:19-22

Após Jesus ser questionado da razão de seus discípulos não jejuarem, ele responde: “Como podem os convidados do noivo jejuar enquanto este está com eles? Não podem, enquanto o têm consigo. Mas virão dias quando o noivo lhes será tirado; e nesse tempo jejuarão.” (Mc 2:19-20). A tentativa de colocar os discípulos sob a Lei gera uma resposta de graça e privilégio. Ele revela ser o Noivo e seus discípulos os “convidados do noivo”. Como poderiam jejuar de tristeza na companhia de quem trazia tanta alegria? Viria um tempo — e para eles estava próximo — quando o Noivo lhes seria tirado e aí teriam toda razão em jejuar. Mas não agora.

A tentativa de subjugar os discípulos debaixo de leis e regras como o jejum, que cedo se transformariam em rituais e costumes religiosos, leva Jesus a explicar a nova ordem de coisas que ele vinha inaugurar. “Ninguém põe remendo de pano novo em roupa velha, pois o remendo forçará a roupa, tornando pior o rasgo. Ninguém põe vinho novo em odres velhos; do contrário, o vinho romperá os odres; e tanto se perde o vinho como os odres. Mas põe-se vinho novo em odres novos.” (Mc 2:21-22).

Remendar roupa velha é tentar costurar um novo caminhar em graça à velha ordem da Lei, na qual a conduta exterior não era espontânea, mas regida por regras de comportamento. Odres eram sacos herméticos de couro, e quando usados para fermentar vinho não podiam ser reutilizados. O processo de fermentação fazia o odre inchar e a pele perder a elasticidade. Quem colocasse vinho novo em odre velho perdia o vinho e o recipiente. Isto nos fala da tentativa de colocar o poder e energia do Espírito Santo no velho homem. A novidade de vida, tanto interior quanto exterior, só poderia funcionar numa nova criação em Cristo Jesus.

A cristandade sempre tentou costurar elementos cristãos ao judaísmo, causando um “rasgo maior” no testemunho cristão no mundo. As doutrinas da graça foram acatadas, mas a forma da Lei também foi adotada, fazendo da cristandade uma colcha de retalhos e cópia pirata do arraial israelita, do qual os hebreus convertidos foram exortados a sair. A Carta aos Hebreus, escrita aos judeus cristãos de há dois mil anos, nunca foi tão atual. Se naquele tempo o arraial, do qual os judeus convertidos eram exortados a sair, representava o sistema legal, social e religioso do judaísmo, hoje o arraial é a cristandade judaizada. O que fazer? “Saiamos até ele — Cristo — fora do arraial, suportando a desonra que ele suportou.” (Hb 13:13).

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.