"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#688 Zumbis remendados


Leitura: Marcos 2:23-28

“Certo sábado Jesus estava passando pelas lavouras de cereal. Enquanto caminhavam, seus discípulos começaram a colher espigas. Os fariseus lhe perguntaram: ‘Olha, por que eles estão fazendo o que não é permitido no sábado?’ Ele respondeu: ‘Vocês nunca leram o que fez Davi quando ele e seus companheiros estavam necessitados e com fome? Nos dias de Abiatar, o sumo sacerdote, ele entrou na casa de Deus e comeu os pães da Presença, que apenas aos sacerdotes era permitido comer, e os deu também aos seus companheiros’. E então lhes disse: ‘O sábado foi feito por causa do homem, e não o homem por causa do sábado. Assim, pois, o Filho do homem é Senhor até mesmo do sábado.’” (Mc 2:23-28).

Talvez você tenha crescido na Igreja Católica, com seus sacerdotes, templos, vestes talares e rituais copiados do judaísmo. Ou quiçá frequente uma de suas “filhas” protestantes, que saíram levando alguns desses elementos. Pode ser ainda que esteja sendo seduzido por seitas modernas que dizem “Jesus” em hebraico e caminham em marcha-à-ré de volta à Lei mosaica com seus membros paramentados à moda hebraica. Em qualquer caso este capítulo 2 do Evangelho de Marcos tem muito a lhe dizer.

O capítulo começou com os religiosos judeus pondo empecilhos ao perdão de pecados do paralítico. Passou pelo sarcasmo deles, que não suportavam ver Jesus com corruptos e marginais como Levi e seus amigos. Achavam que Deus queria salvar os sãos e justos, e não os enfermos pecadores perdidos. Em seguida tentaram obrigar os discípulos de Jesus a domarem a carne, o que revelou a insensatez de se aplicar remendo ao que está arruinado, ou guardar no velho aquilo que é novo. Agora é a vez de desejarem impor sua própria interpretação da lei do Sábado sobre os discípulos famintos, alheios ao fato de estarem diante de seu Autor, o mesmo Jeová que disse: “Desejo misericórdia, não sacrifícios” (Os 6:6).

Toda tentativa da religião legalista trombou com a graça daquele que é o Autor da Lei, do Sábado e da vida, e que tinha vindo para salvar. Se você for como os judeus religiosos, ainda não entendeu o favor imerecido que é a graça. Você continuará achando que perdão se obtém por merecer, e irá olhar para os perdidos e dizer em seu íntimo: “Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano.” (Lc 18:11). Vai caminhar por aí como um zumbi podre remendado de justiça própria e “observando dias especiais” (Gl 4:10), rituais e ordenanças da Lei, alheio à graça de Deus.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.