"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Rádio 3 Minutos

Pesquisar este blog

#761 Quem tem ouvidos



Leitura: Marcos 7:16

Algumas expressões são tão importantes que vêm repetidas. Uma é “Em verdade, em verdade vos digo”, substituída em algumas versões modernas por “Eu lhes afirmo”. A ênfase é exagerada por ser uma afirmação que Jesus considerou importantíssima. No Evangelho de João a expressão mostra diferentes aspectos da divindade de Jesus. “Em verdade, em verdade vos digo, que vem a hora, e agora é, em que os mortos ouvirão a voz do Filho de Deus, e os que a ouvirem viverão” (Jo 5:25). Nenhuma outra voz além da voz de Deus poderia tirar os mortos de suas sepulturas.

Em João 8:34, para mostrar que mera religião não pode nos tornar filhos de Deus, Jesus diz aos religiosos fariseus: “Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado”. Eles não passavam de escravos, servos sem privilégios, como Jesus complementa no versículo seguinte: “O escravo não tem lugar permanente na família, mas o filho pertence a ela para sempre.” (Jo 8:35). Eles só poderiam ser “filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus” (Gl 3:26), o que não era o caso.

No mesmo capítulo 8 de João, Jesus diz que “se alguém guardar a minha Palavra, nunca verá a morte”, e “antes que Abraão existisse, EU SOU” (Jo 8:51, 58), mostrando ser o mesmo Jeová que se apresentou a Moisés como o “EU SOU” (Êx 3:14). Finalmente, em João 10:7 Jesus usa o “EU SOU” para dizer: “Em verdade, em verdade vos digo que EU SOU a porta das ovelhas... quem entra por mim será salvo.” (Jo 10:7, 9). Ele não é “uma” porta dentre muitas à escolha do homem; ele é “a Porta” da salvação.

Em Marcos 7:16 temos outra expressão frequente nos Evangelhos: “Se alguém tem ouvidos para ouvir, ouça!”. Você tem ouvidos para ouvir? Não perguntei se a sua audição é boa, mas se está disposto a ouvir. Se tem aversão só de escutar o nome de Jesus, você não tem ouvidos para ouvir. Esta capacidade está associada a crer que ele é Deus e Homem sem pecado, pois em João 8:46 ele diz: “Qual de vocês pode me acusar de algum pecado?” — pergunta retórica, para a qual não existe resposta. “Se estou falando a verdade, por que vocês não creem em mim?”.

Para esta existe resposta: Eles não criam porque Jesus dizia “que Deus era seu próprio Pai, igualando-se a Deus.” (Jo 5:18). Então em João 8:47-48 Jesus conclui: “Aquele que pertence a Deus ouve o que Deus diz. Vocês não ouvem porque não pertencem a Deus.”. Agora você já sabe o que diferencia quem é ou não de Deus. 

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#760 O perdao que vem primeiro


Leitura: Marcos7:14-15

“Jesus chamou novamente a multidão para junto de si e disse: ‘... Não há nada fora do homem que, nele entrando, possa torná-lo impuro. Pelo contrário, o que sai do homem é que o torna ‘impuro’” (Mc 7:14-15). O assunto ainda tem a ver com a tentativa dos fariseus de se apresentarem como sepulcros caiados, belos e brilhantes por fora, mas cheio de podridão por dentro. Também tem a ver com a religião querer reformar o homem de fora para dentro por meio de regras e preceitos da tradição.

Quer um exemplo? Em um hino de uma religião pentecostal encontro a seguinte estrofe: “Cristo te chama, a ti pecador, te chama a ti, com voz de amor; deixa os pecados, e vem ao Senhor.” (Nº 80, “Harpa Cristã”). Este não é o evangelho da graça, mas o evangelho das normas da tradição religiosa para um pecador ser salvo. É a mesma ladainha das religiões pagãs, de que você precisa mudar de vida para merecer a salvação. Algo como, “Pare de beber, fumar, prostituir, e venha a Jesus para ser salvo”.

Se deixar de pecar para ir a Cristo fosse condição para a salvação, somente os hipócritas iriam a ele. Iriam por se acharem obedientes às regras da tradição religiosa e melhores do que os que praticam essas coisas. Mas o que diz a Palavra de Deus? “Se, porém, andamos na luz, como ele está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado. Se afirmarmos que estamos sem pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e a verdade não está em nós.” (1 Jo 1:7-8). Andar na luz é não ter nada a esconder de Deus. É na luz que nossos pecados são revelados para poderem ser purificados pelo sangue de Jesus.

Em João 8:3-11 uns clérigos levam uma mulher a Jesus: “Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério.”. A Lei ordenava que adúlteros fossem apedrejados. Mas e o homem?! Um flagrante de adultério exige ao menos dois. Seria um deles, que desfrutava de imunidade clerical? Ou você desconhece que clérigos são tratados de maneira diferente quando pecam? “Se algum de vocês estiver sem pecado, seja o primeiro a atirar pedra nela.”, diz Jesus. “Os que o ouviram foram saindo, um de cada vez, começando com os mais velhos.”. 

Na luz de Jesus ficou só a mulher pecadora convicta. Os sepulcros caiados fugiram. “Mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou?’ ‘Ninguém, Senhor’, disse ela.” Jesus lhe diz: “Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.”. A ordem aqui é o oposto à letra do hino que diz “deixa os pecados, e vem ao Senhor”. Primeiro Jesus perdoa e salva, depois capacita o salvo a não pecar mais.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#759 Adoracao que nao passa do teto



Leitura: Marcos7:9-13

Jesus continua sua crítica ao clero do judaísmo e de como invalidavam o mandamento de Deus “a fim de obedecer às suas tradições”. Ele dá um exemplo: “Moisés disse: ‘Honra teu pai e tua mãe’, e ‘quem amaldiçoar seu pai ou sua mãe terá que ser executado’. Mas vocês afirmam que se alguém disser a seu pai ou a sua mãe: ‘Qualquer ajuda que vocês poderiam receber de mim é Corbã’, isto é, uma oferta dedicada a Deus, vocês o desobrigam de qualquer dever para com seu pai ou sua mãe. Assim vocês anulam a palavra de Deus, por meio da tradição que vocês mesmos transmitiram. E fazem muitas coisas como essa.” (Mc 7:9-13).

O clero da época tinha criado uma espécie de jurisprudência capaz de anular o poder e autoridade das Escrituras. Isso acontece quando a tradição substituiu a autoridade da Palavra de Deus, seja no judaísmo ou no cristianismo de nossos dias. Ao citar Isaías 29:13 — “Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim. A adoração que me prestam só é feita de regras ensinadas por homens.” — Jesus mostra como a religião centrada em tradição humana e aparências, leva à hipocrisia. Hipócrita é quem tem “aparência de piedade, mas negando o seu poder” (2 Tm 3:5).

Jesus diz: “Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês limpam o exterior do copo e do prato, mas por dentro eles estão cheios de ganância e cobiça. Fariseu cego! Limpe primeiro o interior do copo e do prato, para que o exterior também fique limpo. Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas! Vocês são como sepulcros caiados: bonitos por fora, mas por dentro estão cheios de ossos e de todo tipo de imundície. Assim são vocês: por fora parecem justos ao povo, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e maldade.” (Mt 23:25-28).

Hoje na TV você encontra sendo apresentado como cristianismo o que não passa de “ganância e cobiça”, seja por pastores milionários ou servos da sé romana, cujo patrimônio é impossível de se calcular. “Em vão me adoram” (Mc 7:7), disse Jesus da adoração farisaica fundamentada na tradição. Toda adoração que não está conforme a Palavra de Deus não passa do teto dos templos e catedrais. “Deus é espírito, e é necessário que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4:23-24). Adorar em verdade é adorar segundo a Palavra de Deus, e não segundo a tradição. Ao Pai, Jesus orou pelos seus: “Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.” (Jo 17:17). A tradição não é a verdade, só a Palavra de Deus é.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#758 Cade o mandamento que estava aqui?


Leitura: Marcos7:6-8

Os fariseus e mestres da Lei criticam Jesus pois “seus discípulos não vivem de acordo com a tradição dos líderes religiosos” (Mc 7:5). Jesus responde: “Bem profetizou Isaías acerca de vocês, hipócritas; como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.  Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens’. Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens.” (Mc 7:6-8). Muitos cristãos agem assim.

Talvez você se espante de eu dizer que cristãos fazem o mesmo que os fariseus, mas você já se perguntou qual é o fundamento daquilo que crê? Se pertencer a alguma denominação cristã provavelmente responderá que crê na Bíblia. Será? No catolicismo, a autoridade do Colegiado e da tradição se sobrepõem à da Bíblia. Se foi o clero que determinou que livros são ou não inspirados, então para se crer na Bíblia é preciso antes crer na tradição desse clero que definiu o que é ou não Palavra de Deus.

No protestantismo seus líderes fazem o mesmo papel do Colegiado católico ao estabelecerem o que é ou não Palavra de Deus. Algumas igrejas protestantes já não consideram a Bíblia toda como Palavra de Deus, mas afirmam que ela apenas contém a Palavra de Deus. Cabe então ao clero protestante definir o que é ou não Palavra de Deus em seu texto. Se o Colegiado católico se gaba de ter definido os livros que compõem a Bíblia, o clero protestante ousa definir o que na Bíblia é ou não Palavra de Deus.

Quando criança, ganhei em minha “Primeira Comunhão” um catecismo. Após minha conversão a Cristo em 1978 voltei a frequentar as missas e comecei a estudar a Bíblia e também a doutrina católica. Um dia comparei meu catecismo com a Bíblia, e vi que tinha sido enganado. No catecismo os “Dez Mandamentos” eram: (1) Amar a Deus sobre todas as coisas, (2) Não tomar seu santo nome em vão, (3) Guardar domingos e festas de guarda, (4) Honrar pai e mãe, (5) Não matar, (6) Não pecar contra a castidade, (7) Não furtar, (8) Não levantar falso testemunho, (9) Não desejar a mulher do próximo, (10) Não cobiçar as coisas alheias.

O padre explicou que era apenas uma adaptação da linguagem de Êxodo 20:3-17 para ser entendida por uma criança, mas não era só isso. O segundo mandamento que proibia as imagens tinha sido suprimido, e o décimo dividido em dois para fechar a conta! Esta foi a primeira de muitas manipulações da Bíblia que vi no catolicismo antes de deixar a religião.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#757 Voce e' cristao ou religioso?


Leitura: Marcos 7:1-5

“Os fariseus e alguns dos mestres da lei, vindos de Jerusalém, reuniram-se a Jesus e viram alguns dos seus discípulos comerem com as mãos impuras, isto é, por lavar... Então os fariseus e os mestres da lei perguntaram a Jesus: ‘Por que os seus discípulos não vivem de acordo com a tradição dos líderes religiosos, em vez de comerem o alimento com as mãos impuras?’” (Mc 7:1-5).

Sabe a diferença entre um cristão genuíno e um mero religioso? O genuíno sabe que está aqui para testemunhar de Cristo e busca pecadores; o religioso defende sua religião e busca apontar pecados nos outros. Ao encontrar um pecador, o cristão genuíno não fica apontando suas falhas, e nem o convida a se fazer membro de alguma religião. Ele anuncia que “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele.” (Jo 3:16-17).

Como faz todo religioso hipócrita e carola, esses fariseus e mestres da Lei criticam Jesus e seus discípulos por não lavarem as mãos. No judaísmo, as mãos, os pés e os utensílios eram lavados, e essas práticas cerimoniais de purificação eram chamadas de "batismos" (Hb 6:2). Ao lado de outras, elas “eram apenas prescrições que tratavam de comida e bebida e de várias cerimônias de purificação com água; [mas] essas ordenanças exteriores foram impostas até o tempo da nova ordem." (Hb  6:2 e 9:10).

A nova ordem de coisas havia chegado com Cristo e aquelas práticas, que serviam de sombras ou figuras, já não tinham razão de existir. Atente para o fato de que aqueles “batismos” não tinham o caráter do batismo que o Senhor instituiu, o qual permanece até hoje. E repare também que nem é de mandamentos da Lei de Moisés que esses fariseus estão falando, mas da “tradição dos líderes religiosos”.

Se você quiser saber se alguém é convertido a Cristo ou apenas religioso, critique sua igreja ou religião. E saia de perto, porque o religioso não estará muito preocupado em defender a Pessoa de Cristo, o único Salvador, que não precisa de uma organização, denominação ou religião humana para salvar. O religioso defenderá com unhas e dentes sua religião, e contestará qualquer infiel que lance dúvidas sobre a “tradição dos líderes religiosos” que fundaram sua religião.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#756 Em busca de um milagre



Leitura: Marcos 6:53-56

Janes e Jambres eram os magos a serviço de Faraó que, usando de poder satânico, eram capazes de imitar os sinais e milagres operados por Deus através de Moisés. Enquanto Faraó vibrava com cada manifestação de poder do diabo, observando o placar mantido empatado com os sinais do poder de Deus, ele não percebia que seus magos estavam apenas multiplicando os sofrimentos trazidos pelos juízos que Deus lançava sobre o Egito. O placar foi desempatado quando o desafio foi de produzir vida a partir do pó, um poder que só Deus possui.

“Então o Senhor disse a Moisés: ‘Diga a Arão que estenda a sua vara e fira o pó da terra, e o pó se transformará em piolhos por toda a terra do Egito’. Assim fizeram, e quando Arão estendeu a mão e com a vara feriu o pó da terra, surgiram piolhos nos homens e nos animais. Todo o pó de toda a terra do Egito transformou-se em piolhos. Mas, quando os magos tentaram fazer surgir piolhos por meio das suas ciências ocultas, não conseguiram.” (Êx 8:16-18).

Após enganar Eva, Satanás passou a ter mão de obra boa e barata — como Janes, Jambres e outros — para continuar enganando a humanidade. Hoje exércitos de homens e mulheres trabalham obedientes a serviço do diabo, alguns conscientes disso, outros ingenuamente crendo estarem a serviço de algum “anjo de luz”. E pode apostar que estão, “pois o próprio Satanás se disfarça de anjo de luz. Portanto, não é surpresa que os seus servos finjam que são servos da justiça... falsos apóstolos, obreiros enganosos, fingindo-se apóstolos de Cristo.” (2 Co 11:13-15).

Eles estão por toda parte: nas sessões de descarrego em terreiros de magia negra, mesas brancas e púlpitos pentecostais, nas beatas benzedeiras, nas aparições de “santos”, nos horóscopos, adivinhos e curandeiros. A influência de pessoas como Alan Kardec e Madame Blavatski trouxe para o Ocidente os demônios do Tibete e das religiões orientais. Enquanto isso livros como Harry Potter seduzem a juventude para buscar a magia dos antigos druidas celtas. Finalmente até a ciência não escapa, com seus pesquisadores de fenômenos paranormais e aparições de extraterrestres.

Satanás está arrebanhando, em diferentes meios, uma multidão cujo único interesse está em magia, curas, sinais e milagres. Serão esses que darão as boas vindas ao anticristo, aquele que fará “grandes sinais, chegando a fazer descer fogo do céu à terra, à vista dos homens” (Ap 13:13).

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)

#755 Grandes curas e libertacoes


Leitura: Marcos 6:53-56

“Depois de atravessarem o mar, chegaram a Genesaré e ali amarraram o barco. Logo que desembarcaram, o povo reconheceu Jesus. Eles percorriam toda aquela região e levavam os doentes em macas, para onde ouviam que ele estava. E aonde quer que ele fosse, povoados, cidades ou campos, levavam os doentes para as praças. Suplicavam-lhe que pudessem pelo menos tocar na borda do seu manto; e todos os que nele tocavam eram curados.” (Mc 6:53-56).

O povo buscava por cura e libertação diretamente no Criador que, numa empatia sem precedentes, levava “sobre si as nossas enfermidades e sobre si levou as nossas doenças” (Is 53:4). Isso ele não fez na cruz, mas em vida, quando tomava para si as enfermidades sem ser contaminado por elas. Por ser Deus e Homem perfeito e sem pecado, ele não adoecia e nem podia morrer, a menos que entregasse sua vida como faria depois na cruz. Até tocar o seu manto curava, tamanho o poder que emanava daquele Ser.

Hoje muitos são enganados ao acreditarem que aquelas manifestações de cura e libertação do próprio Jesus possam ser repetidas com hora marcada por homens comuns. Satanás é “mentiroso e pai da mentira” (Jo 8:44), e mestre em disfarces e imitações. No Éden ele se travestiu de serpente para enganar Eva, numa época quando a serpente não tinha as características que passou a ter após a queda. Ali ela era chamada de “o mais astuto de todos os animais selvagens que o Senhor Deus tinha feito” (Gn 3:1).

Como tudo no Jardim do Éden era muito novo, Eva nem se espantou ao encontrar um animal falante, numa época quando o diabo ainda não terceirizava para seres humanos o trabalho sujo. Ela ingenuamente correspondeu e foi enganada. Muitos hoje fazem o mesmo quando dão ouvidos a demônios travestidos de espíritos humanos nas sessões de espiritismo ou experiências paranormais, ou mesmo acreditando nos falsos profetas, são abundantes nos púlpitos da cristandade.

Porém, “o Espírito diz claramente que nos últimos tempos alguns abandonarão a fé e seguirão espíritos enganadores e doutrinas de demônios. Tais ensinamentos vêm de homens hipócritas e mentirosos, que têm a consciência cauterizada... Como Janes e Jambres se opuseram a Moisés, esses também resistem à verdade. A mente deles é depravada; são reprovados na fé.” (1 Tm 4:1-2; 2 Tm 3:8). Se você não sabe quem foram Janes e Jambres e o que fizeram, descubra nos próximos 3 minutos.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.

Total de visualizações de página