"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Rádio 3 Minutos


Play para tocar sem parar. Clique na nuvem para baixar o mp3.

Pesquisar este blog

#758 Cade o mandamento que estava aqui?


Leitura: Marcos7:6-8

Os fariseus e mestres da Lei criticam Jesus pois “seus discípulos não vivem de acordo com a tradição dos líderes religiosos” (Mc 7:5). Jesus responde: “Bem profetizou Isaías acerca de vocês, hipócritas; como está escrito: ‘Este povo me honra com os lábios, mas o seu coração está longe de mim.  Em vão me adoram; seus ensinamentos não passam de regras ensinadas por homens’. Vocês negligenciam os mandamentos de Deus e se apegam às tradições dos homens.” (Mc 7:6-8). Muitos cristãos agem assim.

Talvez você se espante de eu dizer que cristãos fazem o mesmo que os fariseus, mas você já se perguntou qual é o fundamento daquilo que crê? Se pertencer a alguma denominação cristã provavelmente responderá que crê na Bíblia. Será? No catolicismo, a autoridade do Colegiado e da tradição se sobrepõem à da Bíblia. Se foi o clero que determinou que livros são ou não inspirados, então para se crer na Bíblia é preciso antes crer na tradição desse clero que definiu o que é ou não Palavra de Deus.

No protestantismo seus líderes fazem o mesmo papel do Colegiado católico ao estabelecerem o que é ou não Palavra de Deus. Algumas igrejas protestantes já não consideram a Bíblia toda como Palavra de Deus, mas afirmam que ela apenas contém a Palavra de Deus. Cabe então ao clero protestante definir o que é ou não Palavra de Deus em seu texto. Se o Colegiado católico se gaba de ter definido os livros que compõem a Bíblia, o clero protestante ousa definir o que na Bíblia é ou não Palavra de Deus.

Quando criança, ganhei em minha “Primeira Comunhão” um catecismo. Após minha conversão a Cristo em 1978 voltei a frequentar as missas e comecei a estudar a Bíblia e também a doutrina católica. Um dia comparei meu catecismo com a Bíblia, e vi que tinha sido enganado. No catecismo os “Dez Mandamentos” eram: (1) Amar a Deus sobre todas as coisas, (2) Não tomar seu santo nome em vão, (3) Guardar domingos e festas de guarda, (4) Honrar pai e mãe, (5) Não matar, (6) Não pecar contra a castidade, (7) Não furtar, (8) Não levantar falso testemunho, (9) Não desejar a mulher do próximo, (10) Não cobiçar as coisas alheias.

O padre explicou que era apenas uma adaptação da linguagem de Êxodo 20:3-17 para ser entendida por uma criança, mas não era só isso. O segundo mandamento que proibia as imagens tinha sido suprimido, e o décimo dividido em dois para fechar a conta! Esta foi a primeira de muitas manipulações da Bíblia que vi no catolicismo antes de deixar a religião.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.