"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Rádio 3 Minutos

Pesquisar este blog

#778 Religiao e politica


Leitura: Marcos8:15

No barco, enquanto viajam para o outro lado, Jesus adverte seus discípulos: “‘Estejam atentos e tenham cuidado com o fermento dos fariseus e com o fermento de Herodes’.” (Mc 8:15). Você já sabe que o fermento contamina e degrada, portanto nas Escrituras ele não é nada de bom. E se entender o que ele faz em uma massa, como a do pão, saberá que o crescimento é causado pelo gás produzido pelas bactérias. Isso mesmo, a flatulência das bactérias é o que faz o pão crescer.

O fermento dos fariseus é identificado em Mateus 16:12 como “o ensino”. Ao escrever aos Gálatas, Paulo mostra que eles já estavam sendo seduzidos e contaminados com a má doutrina dos judaizantes, que pregavam uma salvação por obras da Lei. “Vocês corriam bem. Quem os impediu de continuar obedecendo à verdade? Tal persuasão não provém daquele que os chama. Um pouco de fermento leveda toda a massa.” (Gl 5:7-9).

Fariseus são religiosos legalistas que “atam fardos pesados e os colocam sobre os ombros dos homens, mas eles mesmos não estão dispostos a levantar um só dedo para movê-los. Tudo o que fazem é para serem vistos pelos homens... gostam do lugar de honra nos banquetes e dos assentos mais importantes nas sinagogas, de serem saudados nas praças e de serem chamados ‘rabis’ [mestres]... Por fora parecem justos ao povo, mas por dentro estão cheios de hipocrisia e maldade.” (Mt 23:4-6, 28).

Se os fariseus são vistos como a facção de religiosos legalistas e hipócritas, os seguidores de Herodes pendiam mais para o mundanismo político, e não podia ser diferente. Afinal, eles eram os militantes ou correligionários de Herodes, e tinham um viés político e religioso. Esta mistura venenosa é o que caracteriza hoje pastores que leiloam seus seguidores para votarem em políticos que usam o nome de Jesus para se eleger, com o bordão “Irmão vota em irmão”.

Jesus receava que os discípulos se contaminassem com o fermento dos fariseus e de Herodes, ficando, ora legalistas e fingidos, ora falando com os dois cantos da boca para agradar a todos. Na cristandade fermentada existe tanto a “aparência de piedade” (2 Tm 3:5), quanto o espírito político camaleônico, que se fantasia conforme o gosto dos eleitores. Em meio a tudo isso o cristão não pode ser ingênuo e nem servir de massa de manobra, sabendo que foi enviado “como ovelha entre lobos”, para ser “prudente como as serpentes e simples como as pombas.” (Mt 10:16).

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.

Total de visualizações de página