"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Rádio 3 Minutos

Pesquisar este blog

#783 Saiamos!


Leitura: Marcos8:22-26

Depois de cuspir no rosto do cego, “Jesus perguntou: ‘Você está vendo alguma coisa?’ Ele levantou os olhos e disse: ‘Vejo pessoas; elas parecem árvores andando’.” (Mc 8:23). O resultado do contato da saliva com os olhos do homem foi receber uma visão parcial e enxergar os homens como árvores, mais altas que seres humanos. Esta era uma visão natural, aquela que o homem cego tinha na religião judaica, onde homens são reputados como grandes numa hierarquia que incluía sacerdotes e profetas no topo.

Só depois de separar o homem de sua aldeia e mostrar a ele como é enxergar as coisas do ponto de vista do homem natural, Jesus lhe dá uma visão clara e completa. “Mais uma vez, Jesus colocou as mãos sobre os olhos do homem. Então seus olhos foram abertos, e sua vista lhe foi restaurada, e ele via tudo claramente. Jesus mandou-o para casa, dizendo: ‘Não entre no povoado!’” (Mc 8:25-26).

Na carta aos Hebreus o Espírito Santo mostra que o cristão não tem mais nada a ver com a velha ordem judaica de templos, sacerdotes e altares. Se Jesus é o mesmo,  o modo de se adorar nesta nova ordem de coisas mudou. “Não se deixem levar pelos diversos ensinos estranhos. É bom que o nosso coração seja fortalecido pela graça, e não por alimentos cerimoniais, os quais não têm valor para aqueles que os comem.” (Hb 13:8-9). Os ensinos da Lei, que regulavam até mesmo alimentos, podiam estar corretos em seu contexto, mas são “ensinos estranhos” na atual dispensação.

“Temos um altar do qual não têm direito de comer os que ministram no tabernáculo. O sumo sacerdote leva sangue de animais até o Santo dos Santos, como oferta pelo pecado, mas os corpos dos animais são queimados fora do acampamento. Assim, Jesus também sofreu fora das portas da cidade, para santificar o povo por meio do seu próprio sangue. Portanto, saiamos até ele, fora do acampamento, suportando a desonra que ele suportou. Pois não temos aqui nenhuma cidade permanente, mas buscamos a que há de vir. Por meio de Jesus, portanto, ofereçamos continuamente a Deus um sacrifício de louvor, que é fruto de lábios que confessam o seu nome.” (Hb 13:10-15).

Ao ser levado fora do arraial Jesus rompeu com a velha ordem de coisas e agora busca adoradores com vocação celestial. Infelizmente a maior parte das religiões cristãs não entende isso e continua aferrada aos símbolos e figuras da antiga dispensação, com seus templos, sacerdotes e cerimoniais.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.

Total de visualizações de página