"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

Carregando...

#172 O pao vivo



Leitura: João 6:46-52

Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=Bi7IXqSygfQ

Ninguém jamais viu o Pai, exceto Jesus que veio do céu. Paulo escreve a Timóteo que só Deus tem "a imortalidade, e habita na luz inacessível; a quem nenhum dos homens viu nem pode ver". Embora os anjos sejam imortais, e os ressuscitados nunca morrerão, essa imortalidade foi adquirida. Só Deus traz em si a imortalidade na sua essência.

Por habitar na luz inacessível Deus está fora do espectro possível de ser detectado. Ninguém jamais o viu ou verá. Ao nos criar à sua imagem e semelhança, isto não incluiu traços físicos, já que Deus é Espírito. Essa imagem revelou-se em perfeição na encarnação de Jesus. "Quem me vê a mim, vê ao Pai que me enviou", disse Jesus, "a imagem do Deus invisível". Mesmo assim, Deus tomou o cuidado de não deixar qualquer descrição física de Jesus para não cairmos no erro de adorar um retrato. Tudo o que sabemos pelo profeta Isaías é que ele não era atraente.

Jesus continua explicando aos judeus que seus ancestrais tinham comido o maná no deserto, mas aquele alimento não fora suficiente para mantê-los vivos eternamente. Apenas Jesus tinha tal poder. Ele diz: "Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre". Fica mais fácil entender esta afirmação se você fizer um paralelo com o pão natural, o alimento feito de trigo morto que mantém o corpo vivo.

Você já deve ter visto uma daquelas enormes pedras circulares, com um furo no centro, usadas nos antigos moinhos. Os grãos eram despejados por um orifício da pedra de cima, que girava na horizontal sobre outra pedra fixa. Os grãos eram trituradas e esmagados pelo peso da pedra para produzir farinha. A esta eram acrescentados água, óleo, sal e fermento, vindo depois o fogo para assar. Só então o pão estava pronto para alimentar as pessoas e impedir que morressem pelo tempo de uma vida.

Você já parou para pensar na similaridade disso com Jesus? Nos evangelhos você o encontra simbolicamente associado ao grão de trigo que precisa morrer. Jesus foi literalmente esmagado e triturado pela mão de um Deus santo; ele passou pelo fogo do juízo depois de receber sobre si o fermento de nossos pecados.

Aquele que foi ungido pelo azeite do Espírito Santo, em quem encontramos a água viva, que andou aqui como sal e luz, que recebeu sobre si o fermento de nossos pecados e foi afligido pelo fogo do juízo, é o único pão que pode fazer você viver para sempre. O pão comum é limitado na manutenção da vida por ser um alimento morto. Mas Jesus morreu e ressuscitou, ele é o pão vivo. Quem dele se alimenta viverá eternamente. E Jesus vai além ao revelar àqueles judeus: "Se vocês não comerem a carne do Filho do homem e não beberem o seu sangue, não terão vida em si mesmos".

Seria isso alguma espécie de antropofagia? É o que veremos nos próximos 3 minutos.
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.