"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,
para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

#127 O Verbo



Leitura: João 1:1-4
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=WyW78_swExE

Os quatro evangelhos apresentam quatro diferentes aspectos de Cristo. Mateus mostra o perfeito Rei prometido a Israel, por isso está cheio de citações do Antigo Testamento. Ali a genealogia de Jesus começa em Abraão, o patriarca de Israel, e passa pelo Rei Davi. Marcos mostra o perfeito Servo, humilde e sem genealogia. Lucas apresenta o perfeito homem, cuja genealogia vem desde Adão, o primeiro homem.

O evangelho de João revela Jesus como Deus e Criador, e não há uma genealogia, pois ele não tem começo e nem fim, assim como o próprio evangelho de João. Este evangelho começa na eternidade, "no princípio", e termina falando de infinitude, ao revelar que se fosse escrito tudo o que Jesus fez, o mundo inteiro não seria suficiente para conter esses livros. E como poderia este planeta conter toda informação sobre Jesus e o Universo que ele criou?

Semelhante ao livro de Gênesis, João começa com a expressão "No princípio", que na realidade significa "antes de tudo". "No princípio era o Verbo", pré existente. O Verbo estava com Deus e o Verbo era Deus. Todas as coisas foram criadas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. Jesus é o Verbo. Ele não foi criado, ele é o Criador.

É importante entender isso para entender o evangelho. Na primeira epístola ou carta do apóstolo João, ele diz que "todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne procede de Deus; mas todo espírito que não confessa a Jesus não procede de Deus". Não é suficiente dizer que Jesus nasceu neste mundo, é necessário confessar que ele veio em carne, o que pressupõe sua pré existência e natureza eterna.

Cabe aqui também uma explicação para você entender a expressão "vida eterna" sempre que ela aparecer ao longo do evangelho. Vida eterna não é apenas uma vida que nunca se acaba. As pessoas que não crêem em Jesus não têm vida eterna. Mesmo assim elas morrerão, ressuscitarão em um corpo tangível e viverão para sempre no lago de fogo.

Nenhum de nós é eterno, apenas Deus. Todos nós fomos criados para nunca mais deixarmos de existir, o que significa que temos, por natureza, uma vida perpétua, mas não eterna. No versículo 4 diz que nele, em Jesus, estava a vida e a vida era a luz dos homens. Além de Criador e sustentador de todas as coisas, Jesus é também a origem e autoria da vida, seja ela a vida natural, que todos os seres vivos têm, ou a eterna, um privilégio apenas dos que nascem de novo.

Se você buscar pela expressão "vida eterna" em uma Bíblia digital aprenderá que a vida eterna é uma dádiva, ou seja, você a recebe de graça, não por seus esforços; que é algo que você pode saber agora mesmo se tem ou não; que a vida eterna está em Jesus e - agora vem o mais surpreendente - Jesus "é o verdadeiro Deus e a vida eterna". Portanto, você não pode ter vida eterna independente de Jesus, porque a vida eterna é uma Pessoa, é Jesus. Você tem vida eterna? Você tem Jesus? Nos próximos 3 minutos a Luz vem ao mundo.

#126 A grande comissao



Leitura: Mateus 28:16-20
Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=z-LZ7-HFvvI

O evangelho de Mateus termina com Jesus dando aos discípulos a missão de anunciar o evangelho, palavra que significa "as boas novas". Aquele que é Senhor e tem toda a autoridade no céu e na terra, envia seus discípulos para que façam discípulos de todas as nações, os batizem em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, e lhes ensinem tudo o que ele lhes ensinou.

Toda a autoridade, todas as nações, tudo o que receberam. Não há limites. E ele promete estar com seus discípulos todos os dias até a consumação dos séculos. Você crê em Jesus? É um discípulo dele? Está anunciando essas boas novas? Tem certeza de que são boas e novas? Por que pergunto?

Bem, se você sair por aí dizendo que as pessoas precisam frequentar essa ou aquela igreja para serem salvas, você não está anunciando as boas novas. Lembre-se de que os discípulos não eram membros de alguma organização e nem tinham qualquer denominação para identificá-los. Eles eram chamados de cristãos porque seguiam o Cristo. Eles convidavam as pessoas a crerem em Jesus, a pertencerem a uma Pessoa, Jesus, não a uma igreja ou religião.

Se as boas novas que você anuncia não passam de uma lista de regras, elas não são novas. Bem antes de Cristo já havia uma lista de mandamentos que, apesar de bons, não podiam salvar. Se pudessem, Jesus não teria vindo morrer e ressuscitar. Além disso não é uma boa notícia dizer que para ser salva a pessoa deve cumprir uma lista impossível. Tente obedecer apenas um dos Dez Mandamentos: "Não cobiçarás", o que inclui não desejar algo ilícito. Se você diz que é capaz, então está transgredindo outro mandamento: "Não darás falso testemunho".

Existem outras mensagens por aí que estão sendo chamadas de evangelho ou boas novas, mas não são. Por acaso você considera uma boa notícia dizer a alguém que precisa reencarnar e voltar a este mundo mais uma dúzia de vezes para eliminar seu carma? Que vai voltar para sofrer e pagar pelo que fez em outra vida da qual nem se lembra? Não caia nessa. Isso não é evangelho, não é uma boa notícia, é péssima notícia.

Boa notícia é você descobrir que alguém pagou uma dívida que você jamais conseguiria pagar. Boas novas é ouvir que basta crer no Filho de Deus para ser perdoado completamente. É esse o evangelho que Jesus mandou anunciar, são essas as boas novas: que Cristo morreu por nossos pecados, conforme anunciavam as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, também conforme as Escrituras.

Considerando que outro já pagou o preço de sua salvação, ao crer em Jesus você pode ter a certeza da vida eterna sem ser acusado de pretensioso, porque isso não depende de seus esforços ou de sua caridade. Aliás, como é que você poderá anunciar aos outros as boas novas se não tiver a certeza de que elas foram boas para você? Como pode indicar a outros como chegar ao céu se não sabe se vai chegar lá?
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Para baixar os vídeos:

http://www.mediafire.com/?50ddj2c90jjjs É permitido gravar, copiar e distribuir gratuitamente.