"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,

para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

#817 Nos braços de Jesus - Marcos 10:13-16


Leitura: Marcos10:13-16

Quando lemos os evangelhos parece existir uma linha reta e plana do comportamento do Senhor contrastando com uma linha tortuosa dos discípulos. Eventualmente eles erravam por falta ou excesso de zelo, e nós não somos diferentes. Por isso é sempre bom questionarmos se nosso modo de agir está servindo de auxílio ou empecilho ao Senhor, à sua obra, à salvação de pecadores e seu acesso à sã doutrina.

Veja o caso de Pedro, depois de Jesus revelar que seria rejeitado, morto e ressuscitaria “Pedro, chamando-o à parte, começou a repreendê-lo. Jesus, porém, voltou-se, olhou para os seus discípulos e repreendeu Pedro, dizendo: ‘Para trás de mim, Satanás! Você não pensa nas coisas de Deus, mas nas dos homens’. Então ele chamou a multidão e os discípulos e disse: ‘Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me’.” (Mc 8:32-34).

Tomar a própria cruz não tem nada a ver com suportar algum problema ou enfermidade nesta vida. Tem a ver com considerar-se morto como Jesus, que estava prestes a morrer; significa negar-se a si mesmo para não ter mais opinião própria, além daquela ditada pela Palavra de Deus. Sempre que nos opomos ao ensino do Senhor em sua Palavra para fazer prevalecer nossas opiniões estamos sendo um estorvo a ele e à sua obra. Aqui vemos os discípulos, com a melhor das intenções, sendo um empecilho:

“Alguns traziam crianças a Jesus para que ele tocasse nelas, mas os discípulos os repreendiam. Quando Jesus viu isso, ficou indignado e lhes disse: ‘Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam; pois o Reino de Deus pertence aos que são semelhantes a elas. Digo-lhes a verdade: Quem não receber o Reino de Deus como uma criança, nunca entrará nele’. Em seguida, tomou as crianças nos braços, impôs-lhes as mãos e as abençoou.” (Mc 10:13-16).

Isto serve de consolo aos pais, que podem ter a certeza de que seus pequenos têm um lugar garantido na presença do Senhor. Quando ele estava na terra esse lugar era em seus braços aqui; agora, para abortados e crianças que morrem, esse lugar é nos mesmos braços no céu. Crianças nascem pecadoras como qualquer ser humano, mas o sangue de Jesus foi suficiente para cobrir também seus pecados, caso elas não tenham idade para entender e crer. “Deixem vir a mim as crianças, não as impeçam”, disse Jesus. O mesmo vale para os deficientes mentais. 

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Total de visualizações de página