"Então o SENHOR me respondeu, e disse: Escreve a visão e torna bem legível sobre tábuas,

para que a possa ler quem passa correndo". Habacuque 2:2

Pesquisar este blog

#797 Ressurreições - Marcos 9:10



Leitura: Marcos 9:10

“Enquanto desciam do monte, Jesus lhes ordenou que não contassem a ninguém o que tinham visto, até que o Filho do homem tivesse ressuscitado dentre os mortos.” (Mc 9:10). No capítulo anterior Jesus avisara “que era necessário que o Filho do homem sofresse muitas coisas e fosse rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, fosse morto e três dias depois ressuscitasse.” (Mc 8:31).

Neste capítulo Jesus revela a glória que viria após sua morte, para seus discípulos não perderem a confiança. Os judeus sabiam da ressurreição “dos mortos”, mas não “dentre os mortos”. Por uma falha nas versões que trazem “dos mortos”  nos versículos 10 e 11, onde deveria ser “dentre os mortos”, alguns ficam sem entender por que os discípulos indagavam entre si “o que significaria ‘ressuscitar dentre os mortos’.” (Mc 9:11).

Haverá uma ressurreição em que alguns serão tirados dentre os mortos, enquanto os outros mortos permanecerão nos sepulcros, portanto haverá mais de uma ressurreição, além daquelas, como a de Lázaro, que não eram definitivas. A primeira é chamada de ressurreição “para a vida” (Jo 5:29) e “ressurreição dos justos” (Lc 14:14), dos que serão tirados "de entre os mortos" (Fp 3:11). Os mortos não ressuscitarão todos ao mesmo tempo, mas uns (os "justos") serão tirados de entre os "ímpios". Esta primeira ressurreição ocorre em três estágios: Primeiro Cristo, chamado de "as primícias" (1 Co 15:23), depois os que são de Cristo na sua vinda (1 Ts 4:15-18) e por fim os martirizados durante a Grande Tribulação (Ap 14:13).

A segunda ressurreição pode ser chamada de ressurreição “para serem condenados” (Jo 5:29) ou “de injustos” (At 24:15) para condenação. Estes irão ressuscitar após os mil anos do reinado de Cristo na terra (Ap 20:7, 11-15) para enfrentarem o juízo no “Grande Trono Branco” e receberem a sentença da condenação eterna (Ap 20:11-15). Não lemos nada de salvação para os que ressuscitarem nessa ocasião. Os que participarem da primeira ressurreição não serão incluídos na “segunda morte” (Ap 20:14), mas os incrédulos serão lançados no lago de fogo.

Nada disso, porém, era conhecido dos judeus, daí a surpresa com a expressão “dentre os mortos”. Para eles, assim como para a grande maioria hoje na cristandade, a ideia era de que todos ressuscitariam no final. Mas quando a ressurreição final para condenação acontecer os salvos por Cristo já estarão com ele, ressuscitados em diferentes momentos antes disso.

(Mario Persona é palestrante e consultor de comunicação, marketing e desenvolvimento profissional (www.mariopersona.com.br). Não possui formação ou título eclesiástico e nem está ligado a alguma denominação religiosa, estando congregado desde 1981 somente ao Nome do Senhor Jesus. Esta mensagem originalmente não contém propaganda. Alguns sistemas de envio de email ou RSS costumam adicionar mensagens publicitárias que podem não expressar a opinião do autor.)
As ideias aqui não são originalmente minhas, mas são fruto do que tenho aprendido da Palavra de Deus fora dos sistemas denominacionais com irmãos congregados ao nome do Senhor e também com autores de outras épocas que congregavam assim, como J. G. Bellett, C. H. Brown, J. N. Darby, E. Dennett, W. W. Fereday, J. L. Harris, W. Kelly, C. H. Mackintosh, A. Miller, F. G. Patterson, A. J. Pollock, H. L. Rossier, H. Smith, C. Stanley, W. Trotter, G. V. Wigram e muitos outros. Uma lista completa em inglês você encontra neste link.

Total de visualizações de página